Guaíba Online

MENU
Logo
Sábado, 25 de junho de 2022

👔 Política

Caso do ex-CC Jorge Vieira: Prefeito de Guaíba pode ter cometido crime de responsabilidade? Entenda

Câmara de Vereadores de Guaíba colocou requerimento em votação para abrir investigação do ex-CC em Comissão Especial

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para Feedback/h5>
Máximo 600 caracteres.
enviando

Um escândalo em Guaíba de possíveis favores políticos e compra de silêncio de jornalista se instalou na gestão do prefeito Marcelo Reinaldo (PDT) e tomou as conversas nas redes sociais e comunidade guaibense desde segunda-feira (7). O proprietário da TV Costa Doce, Jorge Vieira, trabalhou como CC na prefeitura de Guaíba por quase um ano na atual gestão e, após solicitar sua exoneração, postou um vídeo com fortes denúncias contra o prefeito da cidade. Entenda o caso e veja as posições de todas as partes envolvidas abaixo.

 

Na Câmara de Vereadores da cidade consta um requerimento para votação em sessão do dia 15/2 com o objetivo de estabelecer uma Comissão Especial para investigar o caso. Em uma possibilidade de os cofres públicos terem sido onerados com comprovação de não retorno do serviço do servidor em questão, o prefeito de Guaíba poderia ter de responder por crime de responsabilidade.

Duro crítico do governo passado, do então prefeito José Sperotto (na época do PTB), após retirar sua pré-candidatura a prefeito, Jorge Vieira esteve em coligação e em campanha junto de Marcelo Reinaldo nas eleições de 2020. Após a vitória, já na gestão de Marcelo, ele foi contratado para o Gabinete da Secretaria de Administração como Assessor Superior I e registrava, segundo o próprio, salário bruto mensal acima de R$ 9 mil. O dono da TV Costa Doce também foi candidato a vereador nas mesmas eleições, tendo obtido 218 votos pelo partido PSD. 

 

No vídeo postado em sua página, o ex-servidor faz diversas afirmações como:

  • "O Marcelo me deu um cala-boca: toma aí um salário e fica quieto"
  • "Mas eu não dependo desse dinheiro"
  • "Eu poderia ficar aqui mamando na teta do governo por todo o mandato mas não vou fazer"
  • "Mas eu não posso falar mal do meu empregador"
  • "Marcelo não saía da minha casa me convidando para fazer parte do que ele dizia 'nosso' governo"
  • "Nunca tinha trabalhado em uma prefeitura e queria fazer mais pelo povo"
  • "Não tive direito a uma cadeira nem a uma função"
  • "Eles queriam que eu ficasse só andando pelos corredores"
  • "Encontrei um governo atrapalhado que trouxe um monte de gente de fora, inclusive da família do governo anterior"
  • "Eu sou a favor do cargo concursado"
  • "Marcelo não cumpriu com o que ele combinou dentro da minha casa"
  • "Me tiraram a Escola de Gestão e deram para outro, do grupinho do prefeito"

O QUE DIZ O EX-SERVIDOR

Em conversa com a TVGO, Jorge Vieira gentilmente informou que "tudo que tinha para dizer está no vídeo publicado" e que "não gostaria de se pronunciar sobre o ocorrido no momento". O mesmo autorizou o compartilhamento do vídeo desde que na íntegra como abaixo nesta matéria. 

O QUE DIZEM OS COMENTÁRIOS

O vídeo recebeu mais de 1.100 comentários de populares. Algumas pessoas diziam que ambos estão errados, tanto o "jornalista que teria se vendido" como o "prefeito que estaria pagando ajudas de sua campanha eleitoral com cargos". Outros comentaram que o "dinheiro do salário pago pelo povo deveria ser devolvido aos cofres públicos". Outros, ainda, solicitam o acionamento do Ministério Público e alguns diziam ser este um "caso de polícia". 

 

O QUE DIZ A CÂMARA DE VEREADORES

A Câmara de Vereadores enviou uma nota para a Redação da TVGO, onde informa que "o Legislativo seguirá cumprindo seu papel de fiscalizar as ações do Poder Executivo". Veja abaixo na íntegra:

Em sessão da última terça-feira, foi apresentado um requerimento extra-pauta sobre o tema. O Presidente do Legislativo Marcos SJ, como de praxe, consultou o Plenário acerca da inclusão do Requerimento 044/2022, de autoria do Vereador Manoel Eletricista de forma “extra-pauta”, o que foi aprovado por maioria do Plenário (14 votos favoráveis) e um contrário. Com isso, o mesmo foi colocado na Ordem do Dia, entretanto, não houve tempo hábil para que se esgotassem as matérias previamente incluídas na pauta – e o mesmo não foi votado.

O Requerimento deverá ser votado na próxima Sessão Ordinária, em 15/02/2022. Em caso de aprovação, conforme art. 50 do Regimento Interno, o Presidente designará posteriormente três membros para compor a Comissão Especial, respeitando a proporcionalidade partidária.

O QUE DIZ O PREFEITO DE GUAÍBA

A assessoria da prefeitura informou a Redação da TVGO que o executivo se encontra muito tranquilo sobre os esclarecimentos que tenha que dar na Câmara e que não acredita em um pedido de impeachment, por não se tratar de uma CPI. Em contato no mesmo dia da postagem, a TVGO obteve a resposta de que o executivo não se posicionaria sobre o acontecido. Contudo, após o requerimento da Câmara, a prefeitura enviou documento esclarecendo os pontos que julga necessários. Confira abaixo na íntegra. 

Nota oficial - referente declarações do ex-servidor Jorge Luiz Machado Vieira

A Prefeitura de Guaíba vem a público prestar esclarecimentos sobre as declarações realizadas em uma live (transmissão ao vivo) em redes sociais, pelo ex-servidor Jorge Luiz Machado Vieira:

1) O pedido enviado pelo ex-servidor ao Executivo Municipal era para a que a exoneração acontecesse no dia 16 de fevereiro de 2022, porém, tendo em vista a própria decisão do ex-servidor e suas declarações, o Executivo Municipal decidiu realizar a exoneração no dia 3 de fevereiro de 2022.

2) Durante o período dedicado à Prefeitura de Guaíba, o ex-servidor precisou ausentar-se do trabalho por alguns períodos, para realização de tratamento de saúde. Em todas as circunstâncias, o mesmo apresentou atestados médicos justificando suas ausências.

3) O Executivo Municipal esclarece que sempre foram atribuídas atividades e incumbências ao ex-servidor, de forma clara e objetiva, atribuindo ao mesmo funções específicas para serem desempenhadas com foco no plano de ação da Gestão Municipal – 2021/2024. 

4) O descontentamento do ex-servidor de não ocupar um eventual cargo por ele idealizado é um sentimento que deve ser respeitado, mas que não vincula a decisão do Executivo Municipal, que possui a premissa de escalar os profissionais para os cargos em comissão de acordo com o seu melhor entendimento.

5) O Executivo Municipal de Guaíba recebe com perplexidade as declarações do ex-servidor, dado o desencontro das informações relatadas pelo mesmo com o serviço prestado em seu período de vínculo funcional. 

6) Por outro lado, a Prefeitura de Guaíba recebe com naturalidade o pedido do Legislativo Municipal de esclarecimentos sobre as declarações realizadas pelo ex-servidor, sendo o trabalho de fiscalização ao Executivo um dever expresso daqueles que exercem a vereança. 

Sendo assim, a Prefeitura de Guaíba e o prefeito Marcelo Maranata seguem à disposição dos vereadores, da imprensa e da comunidade para eventuais novos esclarecimentos que se façam necessários. O trabalho não para e seguimos focados nos compromissos firmados com a população guaibense.

Marcelo Maranata
Prefeito de Guaíba

 

O vídeo do ex-servidor:

 

Comentários:

Veja mais