Guaíba Online

Tome as rédeas de seu próprio destino: não devemos nos tornar escravos de algo que não nos faz bem

A sucessão de coisas desagradáveis adoece o corpo e a mente

Às vezes não entendemos por que na nossa vida algumas coisas não estão bem encaixadas ou ainda não estão de uma maneira plenamente satisfatória. Bem, tem uma frase que diz, “cada coisa em seu lugar”. Acredito que seja bem isso o que acontece, talvez as coisas harmonizem melhor quando encontram o seu lugar. Podemos trazer esse pensamento para o nosso dia a dia e a partir daí fazermos algumas observações a cerca do modo como estamos vivendo.

Leia também: Prefeito José Sperotto dá entrevista exclusiva ao Guaíba Online; veja as respostas

Uma das coisas que muitas vezes percebemos como sendo um dos motivos de nossas frustrações é o fato de não estarmos à vontade em uma determinada situação, um determinado local ou com determinadas pessoas. Sentimos-nos deslocados, desconfortáveis, com uma sensação que muitas vezes é traduzida como “isso daqui não é pra mim”.

Temos uma incrível capacidade de nos adaptarmos as diversas situações que se apresentam, mas em alguns momentos é necessário que saibamos que existem outras opções e não devemos nos tornar escravos ou reféns de algo que não nos faz bem.

Leia também: Queda do frontão lateral do Matadouro São Geraldo: o que pode ser feito para revitalizar e aproveitar o espaço?

É claro que temos o poder de alterar a realidade das coisas e criar o nosso próprio ambiente, mas vivemos em sociedade e em algum momento entraremos em contato com o ambiente do outro, por isso temos que saber lidar com isso. Muitas pessoas odeiam o seu trabalho, não gostam do curso universitário que fazem, mas ainda assim seguem em frente para tentarem uma posição melhor no mercado de trabalho.

Essa sucessão de coisas desagradáveis adoece o corpo e a mente e acaba fazendo com que tudo isso se torne um convite a infelicidade. Todas essas atividades ocupam um bom tempo da nossa vida e algumas delas podem ocupar quase toda ela, por isso é importante que realizemos essas atividades obrigatórias com o maior prazer possível. Busque trabalhar com aquilo que você gosta e estudar aquilo que te atrai, até por que isso facilitará o seu entendimento, desenvolvimento e o aprendizado em geral.

Percebo que está acontecendo um despertar para a busca da felicidade. Estamos olhando para dentro de nós mesmos e entendendo que o que realmente nos faz feliz, às vezes está bem longe daquilo que fomos condicionados a pensar como felicidade. Portanto, tome as rédeas do seu próprio destino e não confunda o saciar de um desejo superficial com aquele sentimento que confortará o seu coração, na qual perdurará por toda a sua existência.

.
.
.
.

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Tome as rédeas de seu próprio destino: não devemos nos tornar escravos de algo que não nos...

Às vezes não entendemos por que na nossa vida algumas coisas não estão bem encaixadas ou ainda não estão de uma maneira plenamente satisfatória. Bem, tem uma frase que diz, “cada coisa em seu lugar”. Acredito que seja bem isso o que acontece, talvez as coisas harmonizem melhor quando encontram o seu lugar. Podemos trazer esse pensamento para o nosso dia a dia e a partir daí fazermos algumas observações a cerca do modo como estamos vivendo.

Leia também: Prefeito José Sperotto dá entrevista exclusiva ao Guaíba Online; veja as respostas

Uma das coisas que muitas vezes percebemos como sendo um dos motivos de nossas frustrações é o fato de não estarmos à vontade em uma determinada situação, um determinado local ou com determinadas pessoas. Sentimos-nos deslocados, desconfortáveis, com uma sensação que muitas vezes é traduzida como “isso daqui não é pra mim”.

Temos uma incrível capacidade de nos adaptarmos as diversas situações que se apresentam, mas em alguns momentos é necessário que saibamos que existem outras opções e não devemos nos tornar escravos ou reféns de algo que não nos faz bem.

Leia também: Queda do frontão lateral do Matadouro São Geraldo: o que pode ser feito para revitalizar e aproveitar o espaço?

É claro que temos o poder de alterar a realidade das coisas e criar o nosso próprio ambiente, mas vivemos em sociedade e em algum momento entraremos em contato com o ambiente do outro, por isso temos que saber lidar com isso. Muitas pessoas odeiam o seu trabalho, não gostam do curso universitário que fazem, mas ainda assim seguem em frente para tentarem uma posição melhor no mercado de trabalho.

Essa sucessão de coisas desagradáveis adoece o corpo e a mente e acaba fazendo com que tudo isso se torne um convite a infelicidade. Todas essas atividades ocupam um bom tempo da nossa vida e algumas delas podem ocupar quase toda ela, por isso é importante que realizemos essas atividades obrigatórias com o maior prazer possível. Busque trabalhar com aquilo que você gosta e estudar aquilo que te atrai, até por que isso facilitará o seu entendimento, desenvolvimento e o aprendizado em geral.

Percebo que está acontecendo um despertar para a busca da felicidade. Estamos olhando para dentro de nós mesmos e entendendo que o que realmente nos faz feliz, às vezes está bem longe daquilo que fomos condicionados a pensar como felicidade. Portanto, tome as rédeas do seu próprio destino e não confunda o saciar de um desejo superficial com aquele sentimento que confortará o seu coração, na qual perdurará por toda a sua existência.

.
.
.
.

Veja também

sample52
Casal Viajante - Lugares e Sabores
Casal Viajante - Lugares e Sabores

#PartiuConhecer a cervejaria Paralelo 30 em Eldorado do Sul e os estilos da marca Galeza

sample52
John Vareira - Gourmet
John Vareira - Gourmet

Receita especial para o Dia dos Pais: Pernil Suíno ao molho de cerveja Red Ale

sample52
Fernanda Campos - Tradicionalismo
Fernanda Campos - Tradicionalismo

Descubra o que há em comum entre o Desafio Farroupilha do Grupo RBS e o CTG Pedras Brancas

sample52
Tarso Vigil - Filosofia de Bar
Tarso Vigil - Filosofia de Bar

A Quebra da Quarta...? Será que ficção e realidade podem coexistir?