Guaíba Online

Tradicionalismo à prova pelo coronavírus: rodeios, festivais e bailes devem ser evitados

Atual pandemia de que afeta o mundo exige atenção

Pedro Molnar

Uma pandemia internacional se espalha exponencialmente pelos quatro cantos e atinge a nação, os pagos do sul deste Brasil grande de Deus não são imunes, pelo contrário, diferentemente do que falam e pensam alguns menos avisado, somos até mais suscetíveis que outros estados e outros países.

Porque? Porque somos do abraço apertado, dos três toques no braço e na mão, somos do sul afinal, gente que esbanja afeto e fraternidade, por tudo isso somos risco a essa doença que a própria ciência vem estudando para conter.

Leia também: Aproveitando o 8 de março, Dia Internacional da Mulher, relembremos as gaúchas de fibra

Muitos devem ter visto as declarações da senhora Ana, lá da Itália na região de Lombardia, que através de um vídeo (que a mesma criou e enviou por WhatsApp) alerta para uma epidemia que nos faz buscar o recôndito familiar, ensimesmar-se e reaprender a viver em casa.

No tradicionalismo isso também deve ser abordado, discutido e debatido, mas longe dos Centros de Tradição. Essa é a hora de aprender a usar os veículos de comunicação, dentre eles o celular, que nos rouba tempo precioso de interação com os amigos e familiares por bobagens geralmente.

Os rodeios, festivais, encontros, bailes, enfim, toda a programação do meio tradicionalista que envolve participação de um grupo de pessoas, deve ser evitado, assim não damos margem para a propagação de uma doença que desconhecemos, mas que já sabemos que afetam crianças e idosos. Tu gostarias de ser o causador da internação de teu avô ou de tua avó por teimosia?

Ninguém quer o mal dos que o rodeiam, tenho certeza disso, ainda mais quando falamos de doença grave. Os eventos e o movimento precisa evitar os encontros massivos, as aglomerações e suspender suas atividades por tempo suficiente para evitar o colapso da saúde. Nesse momento não podemos pensar no financeiro ou material, até porque se seguirmos como se nada estivesse acontecendo, como se isso fosse uma bobagem, assumiríamos colocar em risco a sociedade que nos apoia, isso é apontar para a avareza, é assumir a mesquinharia e desafiar a ciência.

Empresas estão colocando funcionários em casa para trabalharem de seus lares e pede que evitem circular por centros de grande massa, a educação vai parar por algumas semanas, os clubes de futebol suspenderam jogos com público e discutem até a continuidade de treinos, isso não é justificativa suficiente para acordarmos e acreditarmos que o vírus é perigoso?

Somos gaúchos, tradicionalistas, não somos imunes. Creiam no que a ciência explica, cuidem com as notícias mentirosas e sensacionalistas, o mundo está cheio de gente que brinca com a saúde e a vida dos outros como se não tivessem o telhado de vidro. Esse momento exige nosso senso de gauchismo e tradicionalismo buscando a fraternidade e a sabedoria, exige que fiquemos próximos dos nossos cuidando para que eles estejam bem, que lembrem das premissas de higiene e limpeza. Nesse momento não precisa ir ao mercado e fazer provisões para um ano, não é disso que precisamos.

Todos entendem que a saúde pública no nosso país é precária, nos atende morosamente, mas nos atende. Pensem no coletivo, se não seguirmos as orientações solicitadas pelos órgãos de saúde, vamos ajudar a colapsar o setor que auxilia aos necessitados, vamos tomar lugar de quem realmente precisa por pura teimosia, e de teimoso nós sabemos o quanto somos bons. 

Leia tambëm: Sem união e preservação de princípios, onde vai parar o movimento tradicionalista?

Como bom gaúcho, cuide de si mesmo para cuidar dos seus! Como bom tradicionalista, cuide de si mesmo para cuidar dos seus! Contribua com a sociedade fazendo o melhor de si, lembre-se que pode ser referência para seu filho, seu irmão, seu sobrinho, enfim sempre somos referência para alguém e esse momento exige cautela e ação, mas principalmente reserva, reservar-nos em casa cuidando pra que estejamos sãos e salvos junto dos nossos.

Para buscar informações use os canais oficiais e não acredite em tudo o que escuta, pois a maldade tenta sobrepor a verdade, mas como tradicionalistas e gaúchos, vamos nos unir (sem dar as mãos dessa vez) e mostrar que somos fortes e bons em todas as guerras, até contra um vírus que tenta assolar nossa pátria mãe gaúcha.

Para buscar informações em canais oficiais, seguem algumas dicas:
- Ministério da Saúde: coronavirus.saude.gov.br
- Secretaria Estadual da Saúde (RS): saúde.rs.gov.br/coronavirus
- Aplicativo com informações sobre o coronavirus/COVID-19 disponível para todas as plataformas: Coronavírus – SUS

Lembrem-se que se fizermos nossa parte e preservarmos a saúde nossa e de nossa família, esse vírus não terá chance contra o povo unido e destemido que somos. Estamos juntos na peleia contra o corona vírus COVID/19.

Leia também: O que nos espera nesse ano de renovação na liderança do Movimento Tradicionalista

 

Oferecimento:
- Abastecer, conveniência e tudo para seu carro no Posto da 20
- Rancho e cestas básicas é na Super Sacola Econômica
- Anuncie no Guaíba Online e leve sua marca para milhares de leitores 

 

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Tradicionalismo à prova pelo coronavírus: rodeios, festivais e bailes devem ser evitados

Uma pandemia internacional se espalha exponencialmente pelos quatro cantos e atinge a nação, os pagos do sul deste Brasil grande de Deus não são imunes, pelo contrário, diferentemente do que falam e pensam alguns menos avisado, somos até mais suscetíveis que outros estados e outros países.

Porque? Porque somos do abraço apertado, dos três toques no braço e na mão, somos do sul afinal, gente que esbanja afeto e fraternidade, por tudo isso somos risco a essa doença que a própria ciência vem estudando para conter.

Leia também: Aproveitando o 8 de março, Dia Internacional da Mulher, relembremos as gaúchas de fibra

Muitos devem ter visto as declarações da senhora Ana, lá da Itália na região de Lombardia, que através de um vídeo (que a mesma criou e enviou por WhatsApp) alerta para uma epidemia que nos faz buscar o recôndito familiar, ensimesmar-se e reaprender a viver em casa.

No tradicionalismo isso também deve ser abordado, discutido e debatido, mas longe dos Centros de Tradição. Essa é a hora de aprender a usar os veículos de comunicação, dentre eles o celular, que nos rouba tempo precioso de interação com os amigos e familiares por bobagens geralmente.

Os rodeios, festivais, encontros, bailes, enfim, toda a programação do meio tradicionalista que envolve participação de um grupo de pessoas, deve ser evitado, assim não damos margem para a propagação de uma doença que desconhecemos, mas que já sabemos que afetam crianças e idosos. Tu gostarias de ser o causador da internação de teu avô ou de tua avó por teimosia?

Ninguém quer o mal dos que o rodeiam, tenho certeza disso, ainda mais quando falamos de doença grave. Os eventos e o movimento precisa evitar os encontros massivos, as aglomerações e suspender suas atividades por tempo suficiente para evitar o colapso da saúde. Nesse momento não podemos pensar no financeiro ou material, até porque se seguirmos como se nada estivesse acontecendo, como se isso fosse uma bobagem, assumiríamos colocar em risco a sociedade que nos apoia, isso é apontar para a avareza, é assumir a mesquinharia e desafiar a ciência.

Empresas estão colocando funcionários em casa para trabalharem de seus lares e pede que evitem circular por centros de grande massa, a educação vai parar por algumas semanas, os clubes de futebol suspenderam jogos com público e discutem até a continuidade de treinos, isso não é justificativa suficiente para acordarmos e acreditarmos que o vírus é perigoso?

Somos gaúchos, tradicionalistas, não somos imunes. Creiam no que a ciência explica, cuidem com as notícias mentirosas e sensacionalistas, o mundo está cheio de gente que brinca com a saúde e a vida dos outros como se não tivessem o telhado de vidro. Esse momento exige nosso senso de gauchismo e tradicionalismo buscando a fraternidade e a sabedoria, exige que fiquemos próximos dos nossos cuidando para que eles estejam bem, que lembrem das premissas de higiene e limpeza. Nesse momento não precisa ir ao mercado e fazer provisões para um ano, não é disso que precisamos.

Todos entendem que a saúde pública no nosso país é precária, nos atende morosamente, mas nos atende. Pensem no coletivo, se não seguirmos as orientações solicitadas pelos órgãos de saúde, vamos ajudar a colapsar o setor que auxilia aos necessitados, vamos tomar lugar de quem realmente precisa por pura teimosia, e de teimoso nós sabemos o quanto somos bons. 

Leia tambëm: Sem união e preservação de princípios, onde vai parar o movimento tradicionalista?

Como bom gaúcho, cuide de si mesmo para cuidar dos seus! Como bom tradicionalista, cuide de si mesmo para cuidar dos seus! Contribua com a sociedade fazendo o melhor de si, lembre-se que pode ser referência para seu filho, seu irmão, seu sobrinho, enfim sempre somos referência para alguém e esse momento exige cautela e ação, mas principalmente reserva, reservar-nos em casa cuidando pra que estejamos sãos e salvos junto dos nossos.

Para buscar informações use os canais oficiais e não acredite em tudo o que escuta, pois a maldade tenta sobrepor a verdade, mas como tradicionalistas e gaúchos, vamos nos unir (sem dar as mãos dessa vez) e mostrar que somos fortes e bons em todas as guerras, até contra um vírus que tenta assolar nossa pátria mãe gaúcha.

Para buscar informações em canais oficiais, seguem algumas dicas:
- Ministério da Saúde: coronavirus.saude.gov.br
- Secretaria Estadual da Saúde (RS): saúde.rs.gov.br/coronavirus
- Aplicativo com informações sobre o coronavirus/COVID-19 disponível para todas as plataformas: Coronavírus – SUS

Lembrem-se que se fizermos nossa parte e preservarmos a saúde nossa e de nossa família, esse vírus não terá chance contra o povo unido e destemido que somos. Estamos juntos na peleia contra o corona vírus COVID/19.

Leia também: O que nos espera nesse ano de renovação na liderança do Movimento Tradicionalista

 

Oferecimento:
- Abastecer, conveniência e tudo para seu carro no Posto da 20
- Rancho e cestas básicas é na Super Sacola Econômica
- Anuncie no Guaíba Online e leve sua marca para milhares de leitores 

 

Veja também

sample52
Vera Salbego - Crônicas
Vera Salbego - Crônicas

Como queria que tudo isso fosse apenas um sonho

sample52
Ledi Almeida - Negócios
Ledi Almeida - Negócios

Conheça as medidas que o Governo Federal adotou para minimizar os efeitos da crise

sample52
Mauro Garcia - Desenvolv. Humano
Mauro Garcia - Desenvolv. Humano

Fuja de discussões rasas; lute as batalhas que valem a pena

sample52
CELIG - Literatura
CELIG - Literatura

Michelle Azambuja: Nem todos morreram, alguns apenas vivem

Fale com a redação!

Envie sua informação, reclamação ou imagens para nossa redação