TVGO | Guaíba Online

Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Geral

A tradição perpetua, mas a condução do tradicionalismo está de mudança

O tradicionalismo sempre foi um modelo autoritário e machista

Mário Terres - Tradicionalismo
Por Mário Terres -...
A tradição perpetua, mas a condução do tradicionalismo está de mudança
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Para quem não sabe do assunto, mas se interessa pelo tema, tradição não muda, são as heranças deixadas pelos nossos antepassados. Diferente do folclore, que pode ser atualizado conforme os ventos do presente sopram as velas do futuro e conduzem as manifestações da sociedade. Tradição não muda, mas o tradicionalismo está de mudanças. Opa, como assim?

O tradicionalismo sempre foi um modelo autoritário e machista (legados de uma sociedade de mesmas qualidades), que tem em seu organismo diretivo máximo o MTG – Movimento Tradicionalista Gaúcho – o cargo mais elevado de presidente. Pois bem, esse ano é uma no ímpar para o MTG, no seu pleito para a escolha da nova presidência, estão envolvidas nessa disputa, duas mulheres de fibra e coragem, que estão disposta a arregaçar as mangas para exercer a função maior do nosso movimento. Estamos falando de Gilda Galiazzi e Elenir Winck, mulheres atuantes no meio tradicionalista e que por ironia da história, do destino e dessas coisas que nem sempre seremos capazes de entender (principalmente aqueles que não querem) quebrarão a tradição de homens no poder.

Não adianta chorar, acabrunhar-se, levantar falso testemunho, burlar a consciência ou esbravejar sem racionalizar, os machões de plantão têm que entender que o mundo é esse. Somos filhos da tradição, respeitamos todo o legado, mas as velas da sociedade estão abertas e o vento do futuro, carrega no presente a intransigência da mudança, há que entender, informar-se e lutar para que sempre mude para melhor. Aí vem minha outra preocupação, informar-se.

Leia Também:

Hoje em dia os livros apodrecem nas estantes e as mídias sociais viram canais de formação de opinião, porém opinião sem conteúdo é lixo. E convenhamos meus amigos, de lixo esse país já está até a boca. Mal comparando é uma eleição como outra qualquer, onde os candidatos têm suas propostas, carregam seu histórico e tudo o que já fizeram em sua vida política (nesse caso vida tradicionalista) e mesmo assim escuta-se falar coisas que, sem fundamento, agridem a inteligência de poucos que não se deixam trair por dados equivocados ou criados pra gerar fofoca, intriga, dissociação.

Afinal, puxando o assunto mais pra banda de cá, o gaúcho que se diz tão inteligente, culto e politizado tem caído em cada “conto da carochinha” que nem m’boitatá ou o negrinho do pastoreio acreditariam se ouvissem as mazelas que se faz por acreditarmos em tudo o que a rede social anti-inteligência produz. Desculpe os termos antigos e mitológicos, mas sou do tempo que se dançava o pezinho e o maçanico na primeira série, estudávamos as lendas, os heróis e as origens do nosso povo, para depois entendermos a história do mundo. Hoje me parece que queremos o mundo sem sabermos exatamente de onde somos.

Que sejam honrosas e bem-aventuradas Gildas e Elenires pois as vezes há que se quebrar o inquebrantável para que realmente cresçamos. Torço que o importante para cada uma delas seja a união e a busca das nossas origens, do fundamento de tudo o que gerou esse movimento mágico que tomou o mundo por saber de onde vem. Vida longa ao tradicionalismo na verdade a qual foi concebido, vida longa a tese de Barbosa Lessa e a Carta de Princípios.




Oferecimento:
- Jack's é o seu novo fast food delicious de Guaíba
- Pizza grande com refri por por apenas R$ 30 é só na QPizza Guaíba

 

Comentários:
Mário Terres - Tradicionalismo

Publicado por:

Mário Terres - Tradicionalismo

Saiba Mais