TVGO | Guaíba Online

Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Geral

Benefício motor, cognitivo e socioafetivo: a importância do brincar no desenvolvimento infantil

Num mundo cada vez mais urbanizado e informatizado, a tendência é que muitas brincadeiras tradicionais percam espaço

Jennifer Garske - Bem Estar
Por Jennifer Garske - Bem Estar
Benefício motor, cognitivo e socioafetivo: a importância do brincar no desenvolvimento infantil
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Num mundo cada vez mais urbanizado, industrializado e informatizado, a tendência é que muitas das brincadeiras tradicionais percam espaço nas preferências infantis.

A brincadeira é o exercício físico mais completo de todos e é através dela que agregamos valores e virtudes à nossa vida. A falta de valorização do brincar, contribui para a realidade que vivemos hoje: as brincadeiras estão entrando em extinção, tem que ser levado com um momento sagrado, ainda mais agora em tempos de distanciamento social. 

Na educação infantil é importante disponibilizar o maior número de experiências possíveis, apresentando um novo mundo. Nesse mundo, a criança começa a se relacionar com um meio social e físico, ajudando no desenvolvimento. Para estimular o intelecto e o físico é preciso que pessoas mais experientes ofereçam desafios cada vez mais difíceis, aí entra o papel do professor e dos pais.

Leia Também:

A educação física consegue isso de uma forma muito prazerosa através de jogos, brincadeiras e esportes. O brincar no desenvolvimento infantil é essencial, pois há um desenvolvimento motor, cognitivo e socioafetivo, pontos que são importantes para uma convivência na sociedade.

A partir de brincadeiras e jogos podemos aprimorar as capacidades físicas básicas como saltar, correr, arremessar, pular, subir. O cognitivo como lógica, situações em que os professores colocam os alunos para que eles achem a solução e a parte afetiva, como trabalhar em equipe, saber lidar com uma situação desagradável e estressante, como por exemplo: Derrotas. 

Os primeiros anos de vida são fundamentais para adquirir uma melhor consciência corporal, diferenciar cada parte do corpo através do movimento, a noção de espaço e tempo, melhorar o desempenho em atividades de força, resistência, flexibilidade e velocidade, e cooperar em atividades de grupo. Quanto mais brincadeiras e atividades ‘’tradicionais’’ a criança tiver na sua rotina, as chances dela se tornar um adulto ativo e com melhor qualidade de vida são múltiplas. Então, deixe ela explorar o espaço, árvores, terra, corrida, saltos, limpeza da casa, cuidado com os animais e até aquela receita especial... 

Veiculação de conteúdo: Guaíba Online não responde ou emite juízo de valor sobre a opinião de seus colunistas. Os colaboradores são autores independentes convidados pelo portal. As visões de colunistas podem não refletir necessariamente as mesmas da plataforma Guaíba Online.

Comentários:
Jennifer Garske - Bem Estar

Publicado por:

Jennifer Garske - Bem Estar

Saiba Mais