TVGO | Guaíba Online

Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

Geral

Biodiversidade e os riscos de extinção: pequenas modificações que podemos fazer na vida diária

A natureza contribui para nossa saúde e bem-estar de várias maneiras, e nossas ações colocam esses benefícios em risco

Aline Stolz - Papo Ambiental
Por Aline Stolz - Papo Ambiental
Biodiversidade e os riscos de extinção: pequenas modificações que podemos fazer na vida diária
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
Nas últimas décadas, os humanos modificaram a natureza em um ritmo alarmante. Uma crescente coleção de pesquisas, no mundo todo, foi desenvolvida sobre as várias maneiras pelas quais isso impacta nossa qualidade de vida, desde a qualidade do ar até a nutrição e a renda. Para entender melhor como e em quais áreas correm maior risco, os cientistas vasculharam volumes de literatura para apresentar tendências globais na relação entre o bem-estar humano e a degradação ambiental.
 

Leia Também:

O trabalho de Fabrice DeClerck e colaboradores da Alliance of Bioversity International e CIAT, foi resumido em “Global trends in nature’s contributions to people” e publicado recentemente em Proceedings of the National Academy of Sciences - PNAS. Esta revisão sistemática baseia-se no Relatório de Avaliação Global da Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES), que em 2019 forneceu a avaliação mais abrangente do declínio da natureza e da perda de biodiversidade, quando enfatizou que 1 milhão de espécies de plantas e animais enfrentam extinção latente.
 
A revisão do PNAS avalia como a perda de biodiversidade afeta o bem-estar humano e diferencia as contribuições potenciais da natureza: as contribuições realizadas, as condições ambientais e o impacto na qualidade de vida. Indicadores materiais e não materiais, incluindo concentração de gases de efeito estufa, controle de pragas e conhecimento cultural, foram usados para avaliar se as tendências estavam piorando, eram quase as mesmas ou melhorando desde 1970.
 
Sem surpresa, muitos indicadores estavam em declínio acentuado, mas particularmente no contexto da agricultura, a revisão ressalta que humanidade enfrenta riscos inter-relacionados, como o declínio da produção agrícola, o declínio das populações de polinizadores e a redução da produtividade do solo. Até mesmo aumentos em áreas como o volume de produção de commodities agrícolas são um alerta, pois as tendências para a saúde humana em relação aos alimentos divergem dependendo de variáveis como região e contexto socioeconômico.
 
A pesquisa representa uma etapa na documentação da importância das contribuições da natureza para as pessoas, que os cientistas esperam poder melhorar nossa capacidade de gerenciar os sistemas terrestres de maneira eficaz, igualitária e sustentável. Conforme uma das autoras, Dra. Kate Brauman, da Universidade de Minnesota, a natureza contribui para nossa saúde e bem-estar de várias maneiras, e nossas ações colocam esses benefícios em risco.
 
A diferenciação de contribuições potenciais e realizadas da natureza, condições ambientais e impacto na qualidade de vida são fatores que devem ser levados à vida dos cidadãos para uma reflexão individual e coletiva, pois a natureza, conforme alterada pelo manejo humano, gera contribuições potenciais. 
 
A combinação de potencial junto com as contribuições humanas leva a contribuições realizadas da natureza. Para alguns tipos de contribuições da natureza, há uma diferença entre as contribuições realizadas e as condições ambientais, porque as condições ambientais são influenciadas por fatores adicionais, como a poluição causada pelo homem. Os impactos na qualidade de vida são ainda modulados por substitutos, instituições e cultura. As informações sobre como as contribuições da natureza que impactam a qualidade de vida podem ser usadas para modificar o manejo e os insumos humanos.
 
Mudar hábitos de consumo, usar menos transporte a base de combustíveis fósseis, fazer compostagem e horta em casa, tomar banhos curtos, usar menos plástico, plantar árvores nativas e plantas com flores para auxiliar os polinizadores, são apenas algumas pequenas modificações que podemos fazer na vida diária. E aí, quem se habilita?
.

Veiculação de conteúdo: Guaíba Online não responde ou emite juízo de valor sobre a opinião de seus colunistas. Os colaboradores são autores independentes convidados pelo portal. As visões de colunistas podem não refletir necessariamente as mesmas da plataforma Guaíba Online.

Comentários:
Aline Stolz - Papo Ambiental

Publicado por:

Aline Stolz - Papo Ambiental

Saiba Mais