TVGO | Guaíba Online

Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Geral

Guaíba e o 20 de setembro: uma cidade marcada pela história

São pontos turísticos que fizeram parte da história gaúcha, os quais deram origem ao termo “Berço da Revolução Farroupilha”

Fernanda Campos - Tradicionalismo
Por Fernanda Campos -...
Guaíba e o 20 de setembro: uma cidade marcada pela história
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Na última quarta-feira (16), o jornal Guaíba Online, publicou uma matéria informando que o período de envio dos vídeos para o projeto da secretaria de Cultura que visa à divulgação de pontos turísticos das cidades do Rio Grande do Sul, titulado como “Venha conhecer minha cidade”, foi prorrogado. O projeto faz parte da programação da semana farroupilha virtual de 2020.

Quando se fala em pontos turísticos de Guaíba, logo lembra-se da linda “Beira” com aquele belíssimo nascer do sol. No entanto, considerando o mês do gaúcho e o atual cenário em que não está sendo possível os festejos presenciais ocorrerem, darei ênfase nos pontos que fizeram parte da história gaúcha, os quais deram origem ao termo “Berço da Revolução Farroupilha”.

Assim, iniciamos pelo sítio histórico da cidade, localizado no centro de Guaíba, onde encontra-se: a igreja Nossa Senhora do Livramento, padroeira do município; a residência conhecida como “Casa de Gomes Jardim” por ter o sido no período da Guerra dos Farrapos, onde reuniam-se os principais líderes farrapos; a Erma de Gomes Jardim onde encontra-se os resto mortais do líder farrapo; o que de pronto leva ao quarto ponto da cidade, localizado em frente a residência citada, o cipreste.

Leia Também:

Conta-se que foi ao “pé” desta árvore, em 1835, que Bento Gonçalves, Gomes Jardim e Onofre Pires planejaram a tomada de Porto Alegre que ocorreria no dia seguinte, 20 de setembro. História que sempre foi conhecida, mas tornou-se muito mais popular, quando começou a ocorrer o espetáculo, “Do cipreste ao Piratini”, que esse ano aconteceu de forma virtual, dirigido por Rinaldo Souto com apoio da secretaria de cultura de Guaíba, destaca-se que sempre são convidados a atuar os talentos das entidades tradicionalistas guaibenses.

É neste local, onde existe este conjunto de pontos turísticos e históricos, que ocorre a guarda da “Chama Crioula” durante o mês de setembro, cada dia da semana farroupilha uma das entidades tradicionalistas é responsável pela guarda da chama, sendo que no período noturno a mesma é conduzida ao respectivo piquete montado no Parque Coelhão e na manhã seguinte retorna ao sítio histórico.

Logicamente este ano, isso não foi possível, mas a chama foi acesa em Guaíba na última segunda-feira (14), ficando sob a guarda dos peões e prendas do Município, o diferencial é que devido aos cuidados por conta da pandemia, neste ano a chama foi conduzida pelos cavalarianos até as margens do Guaíba, e de lá seguiu de Barca. Sempre guarnecida pelos heróis farrapos do espetáculo citado a cima, ou seja, atravessou-se o lago Guaíba como em 1835, em direção ao Palácio Piratini. Uma retomada da história com apoio tecnológico atual.

Por falar em travessia, outro ponto importante é o Marco Farroupilha, localizado no Bairro Alegria nas margens do lago Guaíba, de onde saíram 60 Farrapos para a tomada de Porto Alegre na tarde de 19 de setembro de 1835, conforme descreve a placa lá localizada.
O Departamento Jovem da 1° Região Tradicionalista fez um vídeo destacando estes pontos, brilhantemente. O mesmo está disponível para apreciação na página do facebook.

Outros locais podem ser abordados por você, como o Matadouro São Geraldo. A construção de 1927 de Frederico Linck serviu de matadouro e saladeiro no ciclo do charque em Guaíba, esteve ativo até 1972 e atualmente, embora tombado como patrimônio histórico e cultural, está se deteriorando por falta de cuidados governamentais, o que torna a sua divulgação ainda mais urgente e necessária.

Assim como o popularmente conhecido “Mercado Público de Guaíba”, que foi o matadouro municipal de Porto Alegre até meados do séc. XX. A construção datada de 1860 passou para Guaíba com a emancipação de 1926 e nos tempos mais modernos foi secretaria de obras e posteriormente mercado público, porém depis de fechado para reformas nunca mais reabriu, sendo outro ponto de importância histórica que necessita de atenção.

Conforme o dito popular “Apesar dos pesares”, Guaíba é uma cidade marcada pela história desde os tempos das sesmarias, onde tudo se inicia para o município, e portanto possui incontáveis locais importantes, belos e históricos que merecem ser conhecidos pelo estado e porque não, fora dele?! Então, corre e faz teu vídeo que ainda dá tempo.

Veiculação de conteúdo: Guaíba Online não responde ou emite juízo de valor sobre a opinião de seus colunistas. Os colaboradores são autores independentes convidados pelo portal. As visões de colunistas podem não refletir necessariamente as mesmas da plataforma Guaíba Online.

Comentários:
Fernanda Campos - Tradicionalismo

Publicado por:

Fernanda Campos - Tradicionalismo

Saiba Mais