TVGO | Guaíba Online

Quinta-feira, 25 de Julho de 2024

🏭 Economia e Negócios

Guaíba é o 7º sétimo município gaúcho que mais perdeu repasses do ICMS

Cidade deixará de receber R$ 3,156 milhões neste ano; Porto Alegre está no topo da lista

Redação TVGO
Por Redação TVGO
Guaíba é o 7º sétimo município gaúcho que mais perdeu repasses do ICMS
Talita Ribeiro / TVGO
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Guaíba registrou uma perda significativa na arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), de acordo com levantamento da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs). A cidade deixou de receber R$ 3,156 milhões em repasses, posicionando-se como a sétima no ranking das maiores quedas no Estado.

Em todo o Rio Grande do Sul, a redução de receitas de ICMS afeta diversas cidades. Porto Alegre foi a mais impactada, com uma perda de R$ 13,3 milhões, seguida por Canoas (R$ 13,7 milhões) e Caxias do Sul (R$ 9,09 milhões). Outras cidades que registraram perdas incluem Rio Grande (R$ 3,643 milhões), Gravataí (R$ 3,616 milhões), São Leopoldo (R$ 3,175 milhões), e Passo Fundo (R$ 3,034 milhões).

 

Leia Também:

Cidades que mais perderam na arrecadação de ICMS no RS:


1 - Porto Alegre: R$ 13,3 milhões
2 - Canoas: R$ 13,7 milhões
3 - Caxias do Sul: R$ 9,09 milhões
4 - Rio Grande: R$ 3,643 milhões
5 - Gravataí: R$ 3,616 milhões
6 - São Leopoldo: R$ 3,175 milhões 
7 - Guaíba: R$ 3,156 milhões 
8 - Passo Fundo: R$ 3,034 milhões

O repasse feito na terça-feira (18) totalizou R$ 322.511.320,73, ficando 40% abaixo do valor esperado de R$ 545.665.933,00. Em comparação com o mesmo período do ano anterior, a queda foi de aproximadamente 30%.

A Famurs informou que está mobilizando esforços para manter a continuidade dos serviços públicos essenciais. A organização planeja contatar o governo federal em busca de recursos extraordinários, sugerindo um "seguro-receita" para todos os municípios gaúchos. Uma mobilização está prevista para os dias 2 e 3 de julho, com apoio da bancada gaúcha em Brasília, visando sensibilizar o Congresso Nacional sobre a necessidade de assistência financeira adicional.

Você pode gostar de ler também as seguintes notícias:

 

 

 

 

Comentários: