TVGO | Guaíba Online

Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

🏘️ Cidades do RS

Primeira cidade provisória é inaugurada pelo Governo Estadual em Canoas

Famílias desabrigadas pelas enchentes recebem abrigo e suporte no novo espaço

Redação TVGO
Por Redação TVGO
Primeira cidade provisória é inaugurada pelo Governo Estadual em Canoas
Joel Vargas - Ascom GV
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
Imagens

O governo do Estado inaugura na quinta-feira (04), às 9h, o Centro Humanitário de Acolhimento (CHA) Recomeço, em Canoas, na Região Metropolitana. O centro foi criado para atender famílias que perderam suas casas nas enchentes de abril e maio.

Localizado na avenida Guilherme Schell, nº 10.470, o centro tem capacidade para cerca de 630 pessoas, com 126 casas modulares, banheiros, refeitório, lavanderia coletiva, berçário, fraldário, posto médico, policiamento 24h, ambientes multiuso e espaços para crianças e animais de estimação. O local também oferece serviços de água, saneamento, energia elétrica e wi-fi gratuita, além de assistência médica e social e atividades de integração.

As famílias virão de abrigos como a Universidade Ulbra, Clube Fênix e Sesi Cachoeirinha.

Leia Também:

O projeto foi coordenado pelo Gabinete do Vice-Governador e faz parte do Plano Rio Grande, que aborda ações emergenciais, de reconstrução e de futuro para o Rio Grande do Sul. O Sistema Fecomércio/Sesc/Senac financiou a instalação de estruturas provisórias, e a gestão do centro será realizada pela Agência da ONU para as Migrações (OIM). A Agência da ONU para Refugiados (Acnur) doou as casas modulares, e o Exército Brasileiro ajudou na montagem das unidades.

A Prefeitura de Canoas providenciou as instalações hidrossanitárias e a distribuição de pontos de luz. O centro recebeu doações de empresas privadas e organizações, como Oi S.A., Whirlpool Corporation, Cordeiro Kids e Movimento União BR.

O terreno foi preparado a partir de 4 de junho, e a montagem das unidades habitacionais começou em 17 de junho. O espaço foi concluído em um mês. Cada unidade habitacional tem 17 metros quadrados e pode abrigar até cinco pessoas, com beliches, cama de casal e berços, conforme a necessidade.

O centro conta com 28 containers de banheiros, com 76 sanitários comuns e 15 para pessoas com deficiência (PcD), além de 48 chuveiros comuns e 6 para PcD. A OIM recomenda um banheiro para cada 20 pessoas, mas no Centro Recomeço há um banheiro para cada 7 pessoas. A lavanderia coletiva tem oito máquinas de lavar e secar doadas pela Whirlpool Corporation.

O refeitório tem capacidade para 450 pessoas e fornecerá três refeições diárias. O lactário e fraldário têm berços, cadeiras de amamentação, espaço de trocador, geladeiras, torneiras de água quente, bebedouros e micro-ondas.

A segurança será garantida pela Brigada Militar 24h, com monitoramento por câmeras conectadas ao Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) e vigilância privada. A Guarda Municipal também estará disponível para emergências.

O transporte será atendido pela linha de ônibus Morart, no bairro São Luís, com passe livre nas linhas municipais. O posto médico terá dois consultórios, uma sala de atendimento e uma de recuperação, com equipes das secretarias de saúde e assistência social do Estado e do município.

O Espaço Kids oferecerá brinquedos e serviços para crianças, apoio psicológico e acompanhamento por psicopedagogos e pediatras. O espaço multiuso será equipado com TV e cadeiras para atividades informativas e de entretenimento.

O centro também terá um espaço para animais de estimação, com divisórias de madeira e uma área ao ar livre para brincadeiras.

A gestão do centro será realizada pela OIM, responsável pelo estabelecimento de regras de convivência, monitoramento de serviços, atividades de saúde mental e garantia de alimentação. Cerca de 250 profissionais da OIM gerirão os três centros que estão sendo implantados pelo Estado.

As famílias começarão a chegar gradativamente a partir do primeiro dia, com os primeiros 500 acolhidos até 10 de julho e a lotação completa de 630 pessoas até 15 de julho. As primeiras famílias serão selecionadas com base em critérios de vulnerabilidade, como presença de crianças, idosos, pessoas com deficiência, gestantes e pessoas com transtorno do espectro autista.

 

 

 

Comentários: