TVGO | Guaíba Online

Sexta-feira, 12 de Julho de 2024

🏥 Saúde

Anvisa proíbe produtos com fenol em procedimento de saúde ou estético

Jovem morre em SP por complicações causadas por peeling

Redação TVGO
Por Redação TVGO
Anvisa proíbe produtos com fenol em procedimento de saúde ou estético
Marcelo Camargo / Agência Brasil
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou a proibição da importação, fabricação, manipulação, comercialização, propaganda e uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saúde e estéticos. A medida foi publicada no Diário Oficial da União da terça-feira (24), como resposta a recentes complicações ocorridas após um peeling com fenol resultar na morte de um jovem de 27 anos em São Paulo. O procedimento foi realizado em uma clínica estética por uma profissional não autorizada, levando a polícia a investigar o caso.

Segundo a Anvisa, a decisão visa proteger a saúde e a integridade física da população, uma vez que não há estudos conclusivos sobre a eficácia e segurança do fenol para tais usos. A agência declarou que a proibição permanecerá em vigor enquanto são conduzidas investigações sobre os potenciais riscos associados ao uso dessa substância química em procedimentos invasivos.

O peeling de fenol é um procedimento reconhecido no Brasil e indicado para tratamento de envelhecimento facial severo, conforme a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). No entanto, a entidade alerta que, devido à sua natureza invasiva e agressiva, a execução deve ser realizada com extrema cautela, preferencialmente por médicos especializados em dermatologia ou cirurgia plástica.

Leia Também:

O Conselho Federal de Medicina (CFM) defende que procedimentos estéticos invasivos sejam exclusivamente realizados por médicos qualificados, em ambiente preparado e conforme normas sanitárias rigorosas. A entidade também tem solicitado maior fiscalização dos órgãos competentes para evitar práticas irregulares na área.

A Anvisa reforçou a necessidade de que seus órgãos de vigilância estaduais e municipais intensifiquem a fiscalização sobre estabelecimentos e profissionais que oferecem serviços estéticos sem cumprir os requisitos legais estabelecidos, visando garantir a segurança dos pacientes.

 

Você pode gostar de ler também as seguintes notícias:

 

 

 

 

FONTE/CRÉDITOS: Contém informações da Agência Brasil
Comentários: