Guaíba Online

Atualização em Guaíba: 193 casos de Covid-19 confirmados, sete óbitos e 120 pacientes recuperados

12 novos casos foram identificados nesta segunda-feira; são 693 análises realizadas na cidade

12 novos casos de coronavírus foram identificados em Guaíba, nesta segunda-feira (29), aumentando o total de confirmados para 193. Já foram realizadas 693 análises na cidade. Guaíba está na segunda semana consecutiva da bandeira vermelha do Distanciamento Controlado do RS e tem até o momento sete mortes e 120 pacientes recuperados do Covid-19. O decreto municipal que fecha parte do comércio foi lançado na segunda (22).

Leia também: Reforma do ginásio Coelhão é retomada; investimento é de meio milhão de reais

Dos pacientes que estão em recuperação nomemento, 60 se encontram em casa (isolamento domiciliar) e seis estão internados em hospitais. Confira abaixo os bairros que fazem parte de cada uma das sete regiões e a incidência de casos em cada uma delas

  • Região 1 (Cohab Santa Rita): 40 casos
  • Região 2 (Centro, Engenho, Parque 35, Cel. Nassuca, Ermo): 25 casos
  • Região 3 (Colina, Fátima, Shell, Altos da Alegria, Vila Iolanda): 25 casos
  • Região 4 (Alvorada, Alegria, Vila Elza, Florida): 22 casos
  • Região 5 (Bom Fim, Columbia City, Jardim dos Lagos, Pedras Brancas, Logradouro): 75 casos
  • Região 6 (São Jorge, Primavera, Passo Fundo): 06 casos


Entenda como funciona o protocolo

Conforme o executivo, todos os postos de saúde contam com os testes rápidos realizados pelo município, porém é preciso respeitar protocolos para se realizar o teste, estabelecidos pelo próprio Ministério. Para realizar o teste, o paciente precisa estar na janela imunológica, ou seja, 10 dias depois dos primeiros sintomas ou 10 dias depois que esteve em contato com alguém que testou positivo. Além disso, só podem fazer o teste rápido cidadãos com mais de 50 anos de idade, profissionais da área da saúde, da segurança pública, equipes da assistência social, membros do conselho tutelar e familiares que residem com pacientes infectados.

Leia também: 620 mil pessoas receberam auxílio emergencial sem ter direito, mostra relatório do TCU

 

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Atualização em Guaíba: 193 casos de Covid-19 confirmados, sete óbitos e 120 pacientes recuperados

12 novos casos de coronavírus foram identificados em Guaíba, nesta segunda-feira (29), aumentando o total de confirmados para 193. Já foram realizadas 693 análises na cidade. Guaíba está na segunda semana consecutiva da bandeira vermelha do Distanciamento Controlado do RS e tem até o momento sete mortes e 120 pacientes recuperados do Covid-19. O decreto municipal que fecha parte do comércio foi lançado na segunda (22).

Leia também: Reforma do ginásio Coelhão é retomada; investimento é de meio milhão de reais

Dos pacientes que estão em recuperação nomemento, 60 se encontram em casa (isolamento domiciliar) e seis estão internados em hospitais. Confira abaixo os bairros que fazem parte de cada uma das sete regiões e a incidência de casos em cada uma delas

  • Região 1 (Cohab Santa Rita): 40 casos
  • Região 2 (Centro, Engenho, Parque 35, Cel. Nassuca, Ermo): 25 casos
  • Região 3 (Colina, Fátima, Shell, Altos da Alegria, Vila Iolanda): 25 casos
  • Região 4 (Alvorada, Alegria, Vila Elza, Florida): 22 casos
  • Região 5 (Bom Fim, Columbia City, Jardim dos Lagos, Pedras Brancas, Logradouro): 75 casos
  • Região 6 (São Jorge, Primavera, Passo Fundo): 06 casos


Entenda como funciona o protocolo

Conforme o executivo, todos os postos de saúde contam com os testes rápidos realizados pelo município, porém é preciso respeitar protocolos para se realizar o teste, estabelecidos pelo próprio Ministério. Para realizar o teste, o paciente precisa estar na janela imunológica, ou seja, 10 dias depois dos primeiros sintomas ou 10 dias depois que esteve em contato com alguém que testou positivo. Além disso, só podem fazer o teste rápido cidadãos com mais de 50 anos de idade, profissionais da área da saúde, da segurança pública, equipes da assistência social, membros do conselho tutelar e familiares que residem com pacientes infectados.

Leia também: 620 mil pessoas receberam auxílio emergencial sem ter direito, mostra relatório do TCU