TVGO | Guaíba Online

Quarta-feira, 24 de Julho de 2024

🏭 Economia e Negócios

Relatório coloca Rio Grande do Sul como segundo maior polo de games do Brasil

Relatório anual de 2022 divulgado pela ADJogosRS coloca o RS, com 219 jogos produzidos no ano, atrás apenas de São Paulo.

Redação TVGO
Por Redação TVGO
Relatório coloca Rio Grande do Sul como segundo maior polo de games do Brasil
Divulgação Epopeia Games / Epic Games / Montagem TVGO
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

O Rio Grande do Sul é o segundo maior polo de games do Brasil, ficando atrás apenas de São Paulo. Os dados são do relatório anual de 2022 do mercado de games do Rio Grande do Sul, emitido pela Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais do Rio Grande do Sul (ADJogosRS).

 

Em 2022, o setor fechou com uma entrega de 219 jogos produzidos, 498 empregos fixos gerados (9% acima das vagas de 2021) e um faturamento de R$ 79,7 milhões, receita 1,7% maior que a obtida em 2021. 

Leia Também:

“Jeito gaúcho” de produzir games

Atualmente, o mercado de games do RS cresce com jogos que reproduzem cenários e cultura gaúcha. O próximo passo para muitos desenvolvedores é consolidar o "jeito gaúcho" de fazer.

"Não é algo fácil, porque os jogos são feitos para o mundo todo. Sem dúvida tem a ver com maturidade de saber trazer elementos e vender eles de uma forma interessante para o público. Porque o game tem narrativa, tem história, e uma história bem contada é sempre bem-vinda", diz Everton Vieira, presidente da Associação dos Desenvolvedores de Jogos Digitais do RS.

Em produções recentes, jogos retratam cenários conhecidos dos gaúchos. O jogo Horizon Chase — uma corrida ao redor do planeta com inspirações em clássicos do gênero — foi um ponto de virada para a desenvolvedora Aquiris Games Studio. Criar uma pista que tem Porto Alegre como cenário foi uma ideia pra celebrar os cinco anos do lançamento do game.

 

"E, para nossa surpresa, foi super bem recebido. Não é uma cidade conhecida como o Rio de Janeiro, mas é algo que está no nosso coração, obviamente, e a comunidade gamer adorou a cidade. Eu acho que as pessoas se projetam de onde a gente veio. Querem saber um pouquinho da origem de quem criou aquilo que elas estão jogando. Acho que faz diferença. É algo que certamente a gente vai levar para futuros projetos", afirma o diretor de negócios Sandro Manfredini.

No game de automobilismo, locais como o Túnel da Conceição, o Cais Mauá, a Usina do Gasômetro e a Orla do Guaíba, na Capital. Na trilha, a dupla de Pelotas Kleiton e Kledir.

"Não é só ver elementos gaúchos no jogo, mas também você dizer assim: 'Tem uma empresa gaúcha aqui que dá certo'. Aquela coisa de um guri que quer ser um game designer. Essa é uma barreira para vencer ainda", afirma o professor e pesquisador da PUC-RS André Pase."Não é só ver elementos gaúchos no jogo, mas também você dizer assim: 'Tem uma empresa gaúcha aqui que dá certo'. Aquela coisa de um guri que quer ser um game designer. Essa é uma barreira para vencer ainda", afirma o professor e pesquisador da PUC-RS André Pase.

Presença feminina é maioria nos games no RS

Um levantamento da pesquisa Games Brasil mostra que sete em cada dez brasileiros curtem algum tipo de jogo. No celular, no computador ou na TV. Antigamente o mundo dos jogos eletrônicos era bem masculino. No Brasil os homens ainda são maioria segurando o controle, mas no Rio Grande do Sul as mulheres já representam 57% do público gamer, mostrando que, pelo menos no estado, esse jogo já virou. 

Gaúchos no Best International Games Festival 2023

O governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), no âmbito do Programa de Apoio à Participação de Empresas Gaúchas em Feiras Internacionais, levará seis empresas gaúchas de games para participar do estande coletivo do Estado na 11ª edição do Best International Games Festival (Big) 2023. O evento começa nesta quarta-feira (28/6) para empresas, na Expo São Paulo, na capital paulista. A feira abrirá para o público a partir de quinta-feira (29/6) e seguirá até domingo (2/7). O valor do aportado estadual é de R$ 80 mil.

 

O evento, que acontece desde 2012, é o maior do setor na América Latina, atraindo fãs de jogos eletrônicos e desenvolvedores de vários países para debater as tendências do setor. Com o incentivo estadual, as empresas gaúchas Canva, Hermit Crab, Innominatum, Izyplay, Painful Smile e Rockhead poderão ampliar os negócios, apresentar trabalhos e fazer um intercâmbio de conhecimentos e de experiências.

O presidente da Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais do Rio Grande do Sul (ADJogosRS), Everton Vieira, afirma que o festival se constitui como um momento de integração. “É uma possibilidade para as empresas gaúchas estabelecerem parcerias e divulgarem seus projetos para diversos investidores do mundo todo”, comenta.  

Além de expor ao público as inovações na área de jogos, o evento também é o principal ponto de encontro de quem deseja entender melhor o universo dos games, com palestras, workshops, keynotes e o maior fórum de negócios de games da América Latina. Neste ano, o festival terá um espaço dez vezes maior do que o da primeira edição e duas vezes maior do que o disponível em 2022.

O evento também conta com grandes criadores de games do mundo, como Chance Glasco, criador do Call of Duty, que irá lançar o trailer do seu novo jogo durante o festival. Outro convidado confirmado é Takashi Tokita, designer chefe do Final Fantasy. Para a edição de 2023, já são mais de 1 mil criadores de conteúdo confirmados, como Gaules, Baiano, Playhard e Lucca Maciel.

Um dos momentos mais aguardados da feira é a cerimônia de premiação dos melhores jogos do ano. Nesta edição, foram mais de 600 jogos inscritos, de 55 países e 18 categorias. 

Leia também: Ranking aponta Porto Alegre como uma das cinco capitais mais promissoras para startups na América Latina

 

Comentários: