TVGO | Guaíba Online

Quinta-feira, 25 de Julho de 2024

Geral

O que o Carnaval tem de similaridade ao movimento tradicionalista?

No Brasil, instrumentos africanos foram mesclados aos portugueses

Mário Terres - Tradicionalismo
Por Mário Terres -...
O que o Carnaval tem de similaridade ao movimento tradicionalista?
pexels.com
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Carnaval e tradicionalismo, vocês devem estar lendo o título e falando internamente: “Esse cara é maluco”. Talvez eu seja mesmo, afinal já ouvi que o mundo é dos loucos, quero ser louco pra ter o mundo ao meu lado. Não acho que não sou, Dona Elisa que responda.

Tudo na vida sempre depende do contexto, aprendi que a visão muda sempre, dependendo do expectador. Aprendi também a ouvir e depois formular pensamentos, buscando sentido e até fundamentação, afinal hoje em dia tá cheio de guru sem conteúdo nas mídias. Fui buscar algumas definições importantes para embasar minha crônica, meu relato, como queiram nominar os entendidos.

Leia também: O Carnaval é justamente dar a liberdade de ser o que quiser

Leia Também:

Nos livros do Paixão Cortes, onde busquei luz para a escrita (Folclore Musical da Pampa, Folclore Gaúcho – Festas, Bailes, Músicas e Religiosidade Rural) vi conotação ligada ao contexto explicativo do tradicionalismo, não tanto o folk popular. Façam a leitura demoradamente dos conceitos e depois prossigam.

Referente a tradição diz-se do hábito ratificado pela prática histórica, passado que indica respeito, ato contínuo validado por uma transmissão cultural. A palavra deriva do latim "traditio" que significa transmissão, algo que é transmitido (ou transferido) do passado para o presente. Podemos, assim, retratar a tradição como um conjunto de crenças de um povo que são seguidas e partilhadas sucessivamente durante várias gerações.

Acompanhe, não fuja porque ainda tem mais. Sobre folclore: Por folclore entendemos as manifestações da cultura popular que caracterizam a identidade social de um povo. O folclore pode ser manifestado tanto de forma coletiva quanto individual e reproduz os costumes e tradições de um povo transmitidos de geração para geração. Sendo assim, todos os elementos que são parte da cultura popular e que estão enraizados na tradição desse povo são parte do folclore.

A palavra folclore tem origem no inglês e é oriunda do termo folklore. Esse termo, por sua vez, foi originário da expressão folk-lore, criada por um escritor chamado William John Thoms, em 1846. Em 22 de agosto de 1846, uma carta de Thoms enviada à revista The Atheneum foi publicada. O termo baseava-se em duas palavras: Folk, que significa povo; Lore, que significa conhecimento, saber. Assim, a junção das duas palavras, conforme o próprio Thoms, significa saber tradicional de um povo.

A palavra proposta de Thoms não foi adotada logo de imediato e só se popularizou quando surgiu a Sociedade do Folclore em Londres, no final do século XIX. Se tradição tem a ver com o respeito de algo passado validado por uma transmissão cultural e o folclore é a sabedoria popular passado de geração a geração, muda o espaço-tempo, mas a caracterização de legado é sinônimo nas duas definições.

O que chamamos tradição está ligado a nossa história, as lutas, as mangas arregaçadas e calejadas do machado, da inchada, os pés sujos dos potreiros. Que em algum momento buscavam na música, na dança e nas rimas uma forma de agradecer, de espraiar a mente para seguir laborando com força e determinação para construir nosso estado.

E o carnaval? Que aliás tem recebido preconceito por parte do povo. O carnaval é mais antigo que pensava. Existem teorias de que teve seu início na Babilônia, onde um escravo era fantasiado de rei e humilhado no templo do deus Marduk, mostrando sua inferioridade ao deus. Outros creem que iniciou na Grécia por volta de 600 a.c. em comemoração ao início da primavera. Há ainda a teoria que começou em Roma, em Saturnália ocasião na qual as pessoas se mascaravam e passavam dias a brincar, comer e beber.

Com a ascensão do cristianismo, as festas pagãs ganharam novos significados. Assim, o Carnaval tornou-se a oportunidade dos fiéis despedirem-se de se alimentarem de carne. Inclusive, a palavra carnaval vem do latim carnis levale que significa “retirar a carne”.

Leia também:  Sem união e preservação de princípios, onde vai parar o movimento tradicionalista?

No Brasil, o Carnaval surgiu com o entrudo trazido pelos portugueses. Este consistia numa brincadeira quando as pessoas atiravam água, farinha, ovos e tinta uma nas outras. Por sua parte, os africanos escravizados se divertiam nestes dias ao som de batuques e ritmos trazidos da África e que se mesclariam com os gêneros musicais portugueses. Esta mistura seria a origem da marchinha de carnaval e do samba, entre muitos outros ritmos musicais. No começo do século XX, com o objetivo de civilizar a festa, a prática de lançar farinha e água foi proibida. Por isso, as pessoas começaram a importar dos carnavais de Paris e Nice o costume de jogar confetes, serpentinas e buquês de flores.

Independente da origem, o carnaval tornou-se grande festa popular, manifestando as crendices, as folias, as demandas do povo e como tudo que envolve o povo. Outros interesses podem aflorar e transformar o simples folclore, que buscou na tradição um conceito histórico para ganhar vida, virar um comércio gigantesco.

O tradicionalismo é o resgate da vida campesina, das origens do nosso Rio Grande amado, carregado de heranças dos portugueses, italianos, alemães, outros tantos que formaram a sociedade gaúcha. Carnaval e Tradicionalismo se entrelaçam em conceitos muito similares, o de reverenciar algo que foi legado, tem conceituação histórica.

Leia também: As mudanças sociais, novas gerações, a era digital e o tradicionalismo

Quanto ao processo evolutivo, o tradicionalismo será que não passou ou passa pelo mesmo processo? Há que aproveitar a concepção e evolução do carnaval e se perguntar várias vezes qual caminho o tradicionalismo deve seguir? O de representar a simplicidade do povo, ou projetar isso ao futuro e transformar a mais pura e simples tradição em mega produção, perdendo a essência mas ganhando o glamour e notoriedade mundial. Afinal, as manifestações do carnaval e do tradicionalismo tem muito mais em comum que imaginávamos, certo?


 

Oferecimento:
- Chopp, hamburgers, sorvetes e mais! Vem pra Caramele Gelato Gourmet
- Sua casa ainda não tem Fibra Óptica e Wi-Fi? Assine já na RS Internet
- Faça o vestibular e comece a estudar em Março na ULBRA Guaíba

Comentários:
Mário Terres - Tradicionalismo

Publicado por:

Mário Terres - Tradicionalismo

Saiba Mais