TVGO | Guaíba Online

Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

🏘️ Cidades do RS

Nível do Guaíba em Porto Alegre volta a ficar abaixo dos 4 metros

Nível do lago recua para 3,92 metros, mas ainda representa risco de alagamentos

Redação TVGO
Por Redação TVGO
Nível do Guaíba em Porto Alegre volta a ficar abaixo dos 4 metros
Mauricio Tonetto - Secom
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

O nível do Guaíba em Porto Alegre voltou a ficar abaixo dos 4 metros na madrugada da segunda-feira (27), segundo dados da Secretaria de Meio Ambiente e Infraestrutura do Rio Grande do Sul. À 1h da manhã, a régua instalada na Usina do Gasômetro registrou 3,99 metros.

Na medição mais recente, às 14h15 da tarde da segunda-feira, o nível do Guaíba estava em 3,92 m, o que representa quase 1 metro acima da cota de inundação da região do Centro Histórico de Porto Alegre, que é 3 metros, o que deixa várias regiões da capital gaúchas alagadas.

Histórico de Cheia

Leia Também:

A cheia do Guaíba teve início no dia 3 de maio, após fortes chuvas que atingiram o Rio Grande do Sul. As águas dos rios Jacuí, dos Sinos, Caí e Gravataí, além de arroios locais, desaguaram no lago, causando o aumento significativo do seu nível.

No dia 6 de maio, o Guaíba atingiu seu nível recorde, com 5,33 metros em Porto Alegre. Após um breve recuo, o lago voltou a subir na sexta-feira (24), com um aumento de 45 centímetros em apenas 14 horas.

Novas Chuvas e Ventos Fortes

A Defesa Civil de Porto Alegre emitiu um alerta preventivo para a população, informando sobre a possibilidade de chuvas intensas (entre 50 e 100 milímetros por dia) e ventos de 60 a 100 km/h, a partir de informações do Inmet. O mau tempo também pode ocasionar descargas elétricas, corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores e alagamentos.

Orientações da Defesa Civil

Diante dos riscos, a Defesa Civil orienta a população a:

  • Buscar abrigo em local seguro;
  • Manter-se afastada de postes, árvores e placas de sinalização;
  • Evitar entrar em áreas alagadas;
  • Observar alterações nas encostas;
  • Não ligar aparelhos eletrônicos na rede elétrica.

Em caso de emergências, os contatos são:

  • Defesa Civil de Porto Alegre: 199
  • Corpo de Bombeiros Militar: 193

 

 

Comentários: