TVGO | Guaíba Online

Quinta-feira, 25 de Julho de 2024

🇧🇷 Brasil

Em 6 meses, Celular Seguro recebe 57,8 mil alertas de bloqueio

Mais de 2 milhões de usuários cadastrados na plataforma

Redação TVGO
Por Redação TVGO
Em 6 meses, Celular Seguro recebe 57,8 mil alertas de bloqueio
Tânia Rego / Agência Brasil
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

O Programa Celular Seguro, lançado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) em dezembro do ano passado, recebeu 57.790 alertas de bloqueio nos primeiros seis meses de operação. O aplicativo, disponível para dispositivos Android e iOS, possui mais de 2 milhões de usuários cadastrados.

A ferramenta permite o bloqueio rápido do aparelho, da linha telefônica e de aplicativos bancários em casos de perda, furto ou roubo. O acesso ao serviço é realizado através de cadastro na plataforma Gov.br. Não há limite para o cadastro de números, desde que vinculados ao CPF do titular. Usuários podem indicar pessoas de confiança para efetuar bloqueios em seu nome.

Além do bloqueio via aplicativo, é possível realizar o processo através de um computador. Após o envio do alerta, instituições financeiras e empresas de telefonia participantes do programa bloqueiam o chip e os aplicativos, conforme os procedimentos descritos nos termos de uso do programa.

Leia Também:

Novas Funcionalidades

O MJSP anunciou que, no segundo semestre, serão lançadas novas funcionalidades para aumentar a segurança dos usuários. Entre as novidades, está a possibilidade de bloquear apenas o chip e os aplicativos financeiros, mantendo o aparelho funcional. Em caso de recuperação do celular, o desbloqueio deverá ser solicitado junto às operadoras e bancos.

Outra funcionalidade prevista é a inclusão da lista de Identificação Internacional de Equipamento Móvel (IMEI) para consulta, permitindo verificar se um aparelho usado possui restrições ou registros de roubo ou furto.

O programa é uma iniciativa conjunta do MJSP com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), visando a reduzir roubos e furtos de celulares e desestimular a receptação de aparelhos roubados.

 

Você pode gostar de ler também as seguintes notícias:

 

 

 

 

FONTE/CRÉDITOS: Contém informações da Agência Brasil
Comentários: